sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Você realmente tem Fé?




Muitos afirmam crer em Deus, mas pouquíssimos realmente possuem fé. Crer num Deus onipotente, onipresente e onisciente é fácil. Difícil mesmo é colocar esse "crer" em ação. Isso sim é ter fé!

A palavra fé, vem do original grego pistis, e uma de suas aplicações é "estar em harmonia ou sintonia com Deus". Ter fé não é esperar que Ele trabalhe por mim porque tenho fé suficiente, mas sim possuir intimidade tal que me faça trabalhar por Ele, pelo seu reino e sua justiça. Muitos "pastores" tem induzido milhares de ovelhinhas a exercitarem a sua "fé" pulando do pináculo do templo, mas o verdadeiro pastor nos orienta a descermos pelas escadas e a não colocarmos Deus à prova. Não tenho fé suficiente pra andar sobre as águas, porque creio que isso é sinal do Messias, mas, pelo seu reino e a sua justiça, nadar eu posso. Sim, nisso eu boto fé! Porque tudo posso NAQUELE que me fortalece!


Estando em real harmonia com Deus, a vontade Dele passa a ser a minha vontade, e então, versículos como o de Mateus 17:20 começam a fazer mais sentido: "... porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há de passar; e nada vos será impossível." E o que é ter fé como um grão de mostarda? É mesmo diante de sua pequenez, ter a convicção de que seu relacionamento com Deus, se bem "alimentado", pode se desenvolver e se transformar numa grande árvore! E quando a intimidade chega neste ponto, somos capazes de discernir se realmente é a vontade de Deus que uma montanha mude de lugar.

Mas como estar em sintonia com alguém que mal conhecemos? Você realmente conhece a Deus? Pode afirmar isso? Se a sua resposta for negativa ou parecida com: "não estou muito certo...", é porque a fé ainda não é real em sua vida. É impossível conhecer alguém sem conviver, sem caminhar junto. Só conquistamos intimidade com uma pessoa quando convivemos e somos transparentes em nosso relacionamento. É estar em total sintonia, sem nenhuma interferência na amizade. 


Mas e na prática? Como exercer harmonia, sintonia e intimidade com um ser tão superior? Parece algo tão distante, não é mesmo? Muitos buscam conhecer a Deus e exercer intimidade através de cânticos, encontros, rituais ou práticas religiosas. Chegam inclusive a clamar de todo o coração: "Pai, queremos ver tua face! Quero te ver Senhor! Quero te conhecer, ouvir a tua voz!" Interessante que Filipe, um dos discípulos, também demonstrou esse interesse: "Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta". E a resposta de Jesus, como sempre, foi simples, direta e reta:

"Você não me conhece, Filipe, mesmo depois de eu ter estado com vocês durante tanto tempo? Quem me vê, vê o Pai. Como você pode dizer: ‘Mostra-nos o Pai’? Você não crê que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que eu lhes digo não são apenas minhas. Pelo contrário, o Pai, que vive em mim, está realizando a sua obra. Creiam em mim quando digo que estou no Pai e que o Pai está em mim; ou pelo menos creiam por causa das mesmas obras... Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim. Se vocês realmente me conhecessem, conheceriam também o meu Pai. Já agora vocês o conhecem e o têm visto". João 14:6-11


Querido(a), quer mesmo conhecer a Deus? Ter intimidade com Ele? 
"Se vocês realmente me conhecessem, conheceriam também o meu Pai" O primeiro passo é conhecer Jesus. Como? Através da leitura dos Evangelhos, que são os registros de sua trajetória aqui na terra, desde o seu nascimento até a sua morte. Leia os livros de Mateus, Marcos, Lucas e João de trás pra frente, de frente pra trás, de baixo pra cima e de cima pra baixo. Depois vire do avesso e leia de novo. Em seguida, leia as cartas que seguem para absorver a aplicação dos ensinamentos de Cristo através da vida dos apóstolos.

Mas é importante lembrar que a sintonia não acontece quando apenas um dos lados é conhecido. Deus deseja te escutar também! Fale de seus medos, preocupações, angústias, anseios, alegrias, gratidões... É necessário que o canal de comunicação entre vocês esteja sempre aberto. E este deve ser um exercício diário para aquele que diz acreditar em Deus. Para alguns, esse processo pode parecer estranho no início, mas com o passar do tempo acaba se torna natural e prazeroso, como qualquer outra relação de amizade, que vai se estreitando com o passar dos anos.


"Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam". Hb 11:6. Este versículo nos deixa duas lições preciosas. A fé exige de nós duas ações: CRER e BUSCAR. Uma não faz sentido sem a outra. Se você afirma crer em Deus, mas não busca conhecê-Lo, sua fé não existe, é morta. Como disse um grande amigo: Fé, é o crer em ação! 

Mas e o versículo de Hebreus 11:1, como fica? "A fé também é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos". Vamos trocar a palavra fé por harmonia ou sintonia?"A harmonia/sintonia com Deus é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos".  Ao buscar intimidade com Deus através da sua palavra, estudando e praticando os ensinamentos de Jesus e orando em todo o tempo, estamos colocando em prática a certeza daquilo que esperamos e concretizando as coisas que não vemos. Pronto, simples assim!

O FIM DO MUNDO CHEGOU?


Reportagens, documentários, filmes, depoimentos de cientistas, internet e organizações em todo o mundo, estão alertando sobre possíveis catástrofes como: terremotos; tsunamis; erupções vulcânicas; explosões solares; impacto de meteoritos; mudanças climáticas extremas; aumento do nível do mar; epidemias; pandemias; uma possível guerra nuclear, que encheria a atmosfera terrestre de fumaça radioativa tóxica altamente letal. Tais desastres criariam um cenário de caos, tão horrível, que nem mesmo em nossos mais terríveis pesadelos poderíamos imaginar.

Em virtude disto, várias pessoas em diversos países estão construindo abrigos subterrâneos em locais que julgam serem seguros, estocando água, mantimentos ou plantando alimentos de fácil cultivo. Alguns abrigos são verdadeiras fortalezas, na tentativa de conter possíveis invasões.

O fim do mundo chegou?
Estaríamos vivendo, realmente, os últimos dias?
Se você nunca se interessou ou tem dúvidas sobre este assunto, o que está escrito nestas linhas pode te ajudar.
Leia com calma e sem pressa.

Três dos quatro Evangelhos (Mateus, Marcos e Lucas), registram a pergunta que os discípulos fizeram a Jesus sobre que sinal haveria da Sua vinda e da consumação do século. Então o Mestre lhes respondeu:

“E certamente ouvireis falar de guerras e rumores de guerras; vede, não vos assusteis, porque é necessário assim acontecer, mas ainda não é o fim.
Porquanto se levantará nação contra nação, reino contra reino, e haverá fomes e terremotos em vários lugares; porém tudo isto é o princípio das dores”. (Mateus 24: 6-8)

“Porque se levantará nação contra nação, e reino, contra reino. Haverá terremotos em vários lugares e também fomes. Estas coisas são o princípio das dores”. (Marcos 13: 8) 

“Então lhes disse: Levantar-se-á nação contra nação, reino contra reino; haverá grandes terremotos; epidemias e fome em vários lugares, coisas espantosas e também grandes sinais no céu”. (Lucas 21: 10-11)

O Mestre chama de princípio das dores o período que vem antes das dores de Israel. O termo, dores de Israel, é também, conhecido na Bíblia como a Angústia de Jacó ou Grande Tribulação, um tempo de tribulação na terra, como nunca houve, nem jamais haverá.

Antes da Grande Tribulação vem o princípio das dores, e conforme os textos, é composto de seis sinais: nação contra nação, reino contra reino; grandes terremotos; epidemias; fomes; coisas espantosas; grandes sinais no céu. Note no texto do Evangelho de Mateus que guerras e rumores de guerras, não fazem parte do princípio das dores. Vamos nos deter, rapidamente, nos seis sinais.

1º - Nação contra nação, reino contra reino: Trata-se de um conflito generalizado. Uma guerra fora dos padrões das que ocorreram ao longo da história. As únicas que se encaixam neste perfil, são as duas grandes guerras mundiais do século vinte. Alguns historiadores
tratam as duas guerras mundiais como sendo uma só. Todas as nações da terra participaram direta ou indiretamente deste conflito.

2º - Grandes terremotos: Os dados científicos revelam que o número de terremotos não está aumentando. O que estamos observando é um aumento de terremotos de grande magnitude. Os grandes terremotos estão mais freqüentes.

3º - Epidemias: Cidades superpovoadas; locais de trabalho pouco ventilados e com algum tipo de condicionamento de ar; transportes de massa fechados; imensa densidade populacional vivendo de forma totalmente interligada; viagens sem fim por todo o globo. Esta configuração cria as condições para a propagação de pestes com uma velocidade nunca vista antes. Começando com a Gripe Espanhola em 1918 que matou, aproximadamente, 50 milhões de pessoas e chegando aos dias de hoje com o HIV, a Febre de La Oroya, Ebola, Dengue, o Vírus do Nilo, SARS, H1N1, H5N1, a doença do Sono na África. Estes e muitos outros agentes infecciosos altamente letais criam, potencialmente, a possibilidade de epidemias em vários locais, podendo se transformar em pandemias globais.

4º - Fomes: A fome sempre esteve presente na conturbada história da humanidade. Guerras, catástrofes naturais, epidemias, alterações climáticas e outros fatores contribuíram para produzir escassez de alimento. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), dos sete Bilhões de seres humanos que habitam o planeta, aproximadamente, um bilhão passa fome.

5º - Coisas espantosas: O desaparecimento do mar de Arau na Rússia foi considerado o maior desastre Ecológico da terra; o recuo do lago Chad deixou mais de 12 milhões de pessoas sem água na África Central; o Tsunami da Ásia matou mais de 250 mil pessoas;
o terremoto do Japão gerou um Tsunami devastador; inundações e enxurradas que arrastam tudo pelo caminho; secas sem precedentes; incêndios que devoram campos, florestas e casas; tornados múltiplos e destruidores; furacões arrasadores; derretimento das geleiras nos pólos e nas montanhas; enormes buracos, que surgem do nada, por todo planeta. Estas são, certamente, coisas espantosas.

6º - Grandes sinais no céu: Nuvens com formato e brilho diferentes; vários cometas, ao mesmo tempo no sistema solar, próximo a terra; muitas pessoas, em todo o mundo, tem visto dois sóis durante o nascente e o poente do sol; explosões solares incomuns; luas vermelhas e coisas estranhas que ninguém sabe explicar o que é.

Dores e Princípio das dores são figuras de linguagem extraídas do parto de uma mulher. Os sinais se tornarão mais intensos, assim como as dores se intensificam próximo ao parto. Creio que o Mestre nomeou estes seis sinais, porque são inconfundíveis e fáceis de perceber. 

Não dá para dizer que não estão presentes em nossos dias.
Jesus era humano como nós, mas os milagres que fez, assim como o anúncio destes seis sinais, aproximadamente, dois mil anos antes, mostram que Ele é, de fato, O Filho de Deus. Mesmo sendo Deus, se tornou um de nós. Identificou-se com nossa humanidade. Participou da nossa história porque nos amou. Tomou sobre si as nossas enfermidades e nossas dores. A culpa dos nossos pecados foi lançada sobre Ele. Veio para nos salvar e não para nos julgar. Trouxe vida eterna aos que Nele crêem. Crês que Jesus Cristo é o filho de Deus? Pois diz a Bíblia, crê no Senhor Jesus e serás salvo tu e tua casa.

Estudiosos da Bíblia acreditam que aqueles que crêem em Jesus (a Igreja), serão retirados da terra no princípio das dores, antes da Grande Tribulação, no chamado arrebatamento da Igreja.

José Paulo Vieira - Físico, estudioso das profecias bíblicas e mudanças climáticas há mais de 20 anos.

O Cristão deve ser Conservador. Entenda.

"Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras jamais passarão." (Mateus 24:35) Cristão  x Conservador - Muitas pe...