sábado, 21 de setembro de 2013

A Grande Farsa do Aquecimento Global


 
 
 
Aquecimento global desmascarado: relatório da NASA verifica que dióxido de carbono na verdade esfria a atmosfera               
Praticamente tudo o que foi dito pela comunidade científica dominante e os meios de comunicação sobre os supostos malefícios dos gases de efeito estufa, e em particular o dióxido de carbono, parece ser falso, de acordo com os novos dados compilados pelo Centro de Pesquisas da NASA em Langley. Como se pode ver, todos os gases de efeito estufa na atmosfera que Al Gore e todos os outros fraudadores do aquecimento global há muito reivindicam que causariam o superaquecimento e a destruição de nosso planeta estão, na verdade, resfriando-o, com base nos últimos estudos.
Conforme relatado na publicação “Principia Scientific International” (PSI), Martin Mlynczak e seus colegas da NASA rastrearam as emissões de infravermelho da alta atmosfera da Terra durante e após uma tempestade solar recente, que ocorreu entre os dias 8 e 10 de março. O que eles descobriram foi que cerca de 95% da energia liberada pelo sol durante esta imensa ejeção de massa coronal foi refletida de volta para o espaço ao invés de ser absorvida na baixa atmosfera da Terra.
O resultado foi um efeito de resfriamento global que contradiz completamente as alegações feitas pela própria divisão de climatologia da NASA, de que os gases de efeito estufa seriam os causadores do aquecimento global. Como ilustrado pelos dados recolhidos nas sondagens da atmosfera usando as emissões radiométricas de banda larga (SABER), tanto o dióxido de carbono (CO2) como o óxido nítrico (NO), que são os gases de efeito estufa mais abundantes na atmosfera superior da Terra, refletiram a energia que seria a responsável pelo aquecimento ao invés de absorvê-la.
“O dióxido de carbono e óxido nítrico são termostatos naturais”, disse James Russell, da Universidade de Hampton, que foi um dos principais pesquisadores no estudo inovador SABER. “Quando a atmosfera superior (‘termosfera’) aquece, essas moléculas tratam de lançar o calor de volta para o espaço tanto quanto possível”.
 
Quase toda a radiação gerada pelo Sol que seria a responsável pelo ‘aquecimento’ é impedida de entrar na baixa atmosfera pelo CO2
 
De acordo com os dados, cerca de 95% da radiação solar é literalmente devolvida ao espaço pelo CO2 e pelo NO na atmosfera superior. Sem esses componentes básicos, em outras palavras, a Terra seria capaz de absorver quantidades potencialmente devastadoras de energia solar, que seriam verdadeiramente capazes de derreter as calotas polares e destruir o planeta.
 
 
“A contundente revelação contradiz duramente a proposição central da chamada teoria dos gases de efeito estufa, que afirma que mais CO2 significaria mais aquecimento para o nosso planeta”, escreve H. Schreuder e J. O’Sullivan para a PSI. “Os novos e consistentes dados da NASA refutam essa ideia, o que é um grande embaraço para o climatologista chefe da NASA, o Dr. James Hansen, e a sua equipe do GISS da NASA”.
Sem rodeios, o Dr. Hansen é um ativista do aquecimento global, como todos sabem, que ajudou a desencadear uma histeria artificial sobre as mudanças climáticas nas costas dos EUA em 1988. Logo após o lançamento desse novo estudo SABER, no entanto, o Dr. Hansen convenientemente se aposentou de sua carreira como climatologista da NASA e agora planeja gastar o seu tempo com a “ciência”, e em “chamar a atenção para suas implicações para os jovens”.
O post acima é uma tradução livre de um artigo publicado no site NaturalNews. Para ver o original, clique aqui

Paula Jordem

O que é o Congresso Brasil Paralelo?

Brasil Paralelo  é um  sítio eletrônico   brasileiro  de conteúdo independente, cuja  linha editorial  é alinhada ao  liberalismo eco...