terça-feira, 27 de novembro de 2018

Ética e Política



por Alexsandro M. Medeiros

            A relação entre ética e política adquiriu formas e valores bem distintos ao longo da história da humanidade, desde uma forte relação entre ética e política na Antiguidade, uma ruptura entre ambas no Renascimento e início da modernidade, uma crise de valores característica da contemporaneidade até uma proposta atual de reaproximação entre ambas.
Como é manifesto, na história da cultura ocidental encontram-se diferentes teorias acerca da relação entre ética e política, algumas das quais afirmam a compatibilidade, ou também a convergência, ou diretamente a substancial identidade dos dois termos; outras afirmam a divergência, a incompatibilidade ou diretamente o antagonismo (BOVERO, 1992, p. 141).
           É sobre esta intricada relação que iremos discorrer ao longo deste texto. Mas antes vejamos algumas breves considerações sobre o sentido etimológico da palavra ética.
            O conceito de “ética” remonta aos gregos; provém de êthos (com eta inicial), e éthos (com épsilon). Em seu primeiro significado, ethos designa a residência, morada, lugar onde se habita; em sua segunda acepção designa o conjunto de costumes normativos da vida de um grupo social, o modo de ser, o caráter. É, pois, a realidade histórico-social dos costumes e sua presença no comportamento dos indivíduos que é designada pelas duas grafias do termo ethos.
            O seu último significado será vulgarizado a partir de Aristóteles que o integra definitivamente na filosofia usando ainda o adjetivo ethiké (ethiké procede do substantivo ethos conforme nos ensina Carlos Ferraz, 2014) que qualifica um determinado tipo de saber surgindo a expressão ethiké pragmateia, que se pode traduzir tanto como o exercício constante das virtudes morais, quanto como o exercício da investigação e da reflexão metódica sobre os costumes.

Ética em S. Tomás de Aquino e S. Agostinho

São Tomás de Aquino é um dos expoentes mais intrigantes e completos da Escolástica. Conhecido por “doutor angélico” pelos metafísicos mais heréticos deixa a posteridade com maestria e transparência lógica uma excelente síntese do pensamento de sua época. Tomás realiza com sutileza, uma conexão orgânica que permite o diálogo entre Platão, Aristóteles e Agostinho.

Nascido no berço da cultura italiana recebeu sólida formação humana, filosófica e teológica nos melhores universidades cristãs da efervescente Europa do século XII. Descendente de família tradicional tinha seu destino determinado e o cumpriu com dedicação e afinco mergulhando profundamente na filosofia e teologia.
Sua conduta cristã fundamentou em muito seus escritos que contempla a filosofia, teologia, moral e a ética. Estabelece uma relação de concomitância agregadora entre razão e fé e afirma que a teologia não pode excluir a filosofia e que cada saber tem sua importância e razão de ser.
Para são Tomás de Aquino a justificativa ética da vida humana tem sua fundamentação na razão despedida por Deus. A existência humana é teleológica e o homem tem consciência de sua finitude por meio da razão.
Por natureza o homem criado a imagem e semelhança de seu criador, têm a centelha do bem universal e por meio da racionalidade é levado a Deus. Porém, ele é livre e pode escolher o bem ou o mal.
Para Tomás de Aquino ser ético é escolher o bem, ou seja, não contrariando a razão. Ético é a inclinação para o bem, aquilo que está de acordo com a razão e a lei, já que a razão é a orientação da mesma.
A lei eterna é constituída por Deus e é revelada por nos dez mandamentos. A lei natural é feita por Deus e imutável, subordinada a lei eterna e em função do homem. Já a lei natural é mutável, mortal e contingente. A lei deve ser universal e ter como objetivo tornar o homem bom de acordo com o dom de Deus. O representante da lei deve fazer com que as leis sejam cumpridas de maneira equilibrada de maneira a trazer harmonia nas relações. A lei positiva é feita pelo homem com o intuito de estabelece justiça na disposição constante da vontade, dando a cada um o que lhe é seu.

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Hoje eu não vou reclamar


Hoje eu não vou reclamar. Hoje eu não vou dar moral para os hipócritas, políticos corruptos e nem pra essa gente metida a besta que se esforça pra tentar fingir que eu não existo. Hoje eu não quero saber dos falsos amigos, dos mentirosos e, muito menos, daqueles que medem as pessoas pela grana que possuem ou pelo carro que dirigem. São três horas da madrugada e eu só penso em ter mais um dia legal na minha vida. Quando amanhecer pode até estar chovendo ou fazendo frio, mas eu quero viver um dia ímpar e plenamente especial.

Quero abrir o jornal logo pela manhã e ler uma manchete dizendo que todas as guerras terminaram. Quero ouvir no “Bom Dia Brasil” que nenhum terremoto, furacão ou tsunami arrasou a terra, e que mais ninguém no mundo passa fome. Hoje eu não vou reclamar dessa vida louca, onde as pessoas idolatram o dinheiro e desprezam o amor. Hoje eu quero ir até a padaria e arrancar um sorriso franco da moça do caixa, sempre tão carrancuda e de mal com a vida. Quero receber o carteiro no portão da minha casa com a máxima cordialidade, mesmo que ele me traga apenas envelopes com contas pra pagar. Quero caminhar pelas ruas e ver as pessoas felizes, andando de mãos dadas, trocando gentilezas e ignorando os preconceitos.

Hoje eu não quero falar das fraquezas humanas e nem das mazelas que contaminam o cerne da nossa sociedade. Não quero falar e nem pensar nas sacanagens habituais promovidas pelos desonestos senhores e senhoras que nos governam. Isso estragaria o meu dia. Isso eu não quero. Hoje eu quero mais do que simplesmente acordar e abrir a janela do meu quarto. Hoje eu quero jogar bola com meu filho, andar de bicicleta pelas ruas da cidade e pescar lambaris num córrego qualquer. Hoje eu quero esquecer todos os problemas e reunir meus amigos pra fazer um churrasco, tomar umas cervejas, abraçar com força todos aqueles que quiserem estar na minha companhia e sorrir... Apenas sorrir.

Hoje eu não quero reclamar de nada. Hoje eu só quero poder olhar pro lado e ter o discernimento de perceber que existem pessoas enfrentando dificuldades muito maiores do que as minhas e, com isso, me sentir feliz pela vida que eu tenho, por estar vivo e por poder expressar a minha gratidão por tudo que eu já conquistei. Hoje eu quero enxergar somente as coisas boas da vida.

Quero reservar este dia para agradecer ao meu Deus por tudo que Ele tem feito por mim; por tantas pessoas fantásticas que já cruzaram o meu caminho; pela família sólida e exemplar que eu tenho; pelo trabalho digno e honroso do qual provém o meu sustento e por tantas coisas boas com as quais eu tenho sido abençoado e que, talvez eu nem as mereça. Hoje eu não vou reclamar. Hoje eu tirei o dia apenas para dar amor, caminhar de cabeça erguida e ser feliz... Simplesmente, ser feliz.
R. V.