terça-feira, 19 de novembro de 2013

Dons Espirituais

Coríntios... Sejam cuidadosos

Paulo relaciona o dom de "discernimento de espíritos" entre os nove dons espirituais sobre os quais escreveu em sua Primeira Epístola aos Coríntios. A partir dessa carta, percebemos que o apóstolo estava preocupado com as noticias que recebera de Corinto. Os membros da igreja, muitos deles convertidos mediante ao trabalho do próprio Paulo, tinham escrito uma carta pedindo seu conselho  sobre várias questões; a epístola contém suas respostas, bem como exortações contra certos comportamentos errados.
Paulo receava que a igreja se dividisse, seguindo personalidades humanas, em vez de a Pessoa de Cristo. Estava preocupado com a conduta dos coríntios quando se reuniam para lembrar a morte do Senhor e também com o entendimento deles sobre as coisas espirituais.
O desejo do apóstolo para com a recém organizada igreja de Corinto era que as pessoas mantivessem um compromisso forte com Cristo e evitassem as divisões. Ele se alegrava porque não havia carência de dons espirituais na comunidade, mas estava plenamente consciente da possibilidade de que houvesse engano espiritual. Tratava-se de um perigo muito real dentro da igreja, desde de que a maior parte de seus membros vinha de um ambiente de adoração de ídolos com todas as suas conotações demoníacas.
O apóstolo escreveu-lhes que antes da conversão, "deixáveis conduzir-vos aos ídolos mudos, segundo éreis guiados" (1 Co 12.2 ) e tinham de tomar cuidado para não caírem novamente sobre a mesma influencia. A preocupação de Paulo era que eles não fossem ignorantes quanto aos dons espirituais, mas tivessem um entendimento das maneiras pelas quais o Espírito Santo se manifesta por intermédio de cristãos individuais quando esses se reúnem em nome de Jesus.
Ele esperava que estivessem preparados e dispostos a serem usados pelo Espírito para abençoar e fortalecer uns aos outros, sempre que se reunissem como Corpo de Cristo. Paulo também os exortou a que fossem cautelosos e não confundissem a influência e a manifestação do Espirito Santo com as dos  espíritos malignos.

Conflito no final dos tempos

Esses ensinamentos de Paulo são tão fundamentais hoje quanto foram naqueles primórdios da Igreja. Ao nos aproximarmos do final dos tempos e do glorioso retorno de Jesus, há novamente uma grande "reunião" de uma poderosa colheita no Reino de Deus em todas as partes da Terra enquanto as boas novas do evangelho são proclamadas com demonstração do poder de Deus.
Ao mesmo tempo em que há esse avanço, há também uma intensificação da atividade demoníaca - uma renovação da oposição satânica ao mover do Espírito de Deus. Sempre que o Espírito Santo traz avivamento, o inimigo da Igreja busca imitar e tumultuar as manifestações da vida de Deus. Para alcançar esse propósito, ele provoca atividades demoníacas, carnais e insensatas no meio do povo de Deus. Para alcançar esse propósito, ele provoca atividades demoníacas , carnais e insensatas no  meio do povo de Deus, buscando desacreditar e marginalizar aqueles que desejam acessar o mundo sobrenatural no poder do Espirito Santo. Quando temos experiências sobrenaturais e consciência do numero crescente de manifestações espirituais  nas igrejas, precisamos do conhecimento dos princípios do Reino de Deus estabelecidos em nossos corações, juntamente com a direção e o discernimento do Espirito Santo.

Dons Espirituais


Paulo escreveu sobre nove manifestações do Espirito Santo(dons espirituais) a fim de corrigir qualquer ignorância por parte dos cristãos coríntios em relação às experiências espirituais. Ele enfatizou que há um só Espirito Santo que escolhe operar de formas variadas, e que jamais deveria haver qualquer atitude de competição entre os irmãos quando os dons fossem empregados, nem qualquer contradição de verdade estabelecida na Palavra de Deus. "Ora, os dons são diversos , mas o Espirito é o mesmo. E também há diversidade de serviços, mas o Senhor é o mesmo. E há diversidade nas realizações, mas o mesmo Deus é quem opera tudo em todos." (CO 12.4-6)

Três grupos de três

Os nove dons podem ser divididos em três grupos, cada qual composto de três dons. Existem dons vocais, ou seja, os pronunciamentos inspirados pelo Espirito Santo: falar em línguas, interpretar as línguas e profecia; os dons de poder, ou seja, demonstrações do poder do Espirito Santo: dons de cura, operação de milagres e dom de fé; os dons de revelação, onde conhecimento é compartilhado pelo Espirito Santo: palavra de conhecimento, palavra de sabedoria e discernimento de espíritos.
O que os nove dons tem em comum é que eles são completamente sobrenaturais  e não tem origem na razão ou na habilidade humana. São uma manifestação, um lampejo exterior, do Espirito Santo que habita no interior do cristão. Os dons de revelação -palavra de conhecimento, palavra de sabedoria e discernimento de espíritos - são todos métodos de comunicação que o Espirito Santo emprega para revelar certos fatos ao cristão.
O dom de discernimento de espíritos é a forma do Espirito Santo  revelar a um individuo a conscientização da presença, atividade ou efeito de uma entidade espiritual(ou entidades).
O termo grego traduzido como "discernimento" é diakrisis, que literalmente significa "julgamento completo'. Transmite a ideia de receber informação clara sobre algo - uma investigação completa que não deixa nenhuma duvida.

Nada é oculto do Espirito de Deus

O Espirito de Deus conhece todas as coisas, e nada fica  oculto ao seu entendimento.
a Bíblia apresenta essa verdade de varias formas. João na ilha de Patmos, teve uma revelação de Jesus ressuscitado e glorificado no centro do trono de Deus no céu: "Então, vi...um Cordeiro como tendo sido morto. Ele tinha sete chifres, bem como sete olhos, que são os sete Espíritos de Deus enviados por toda a terra"( Ap 5.6).
Esta descrição evoca a descrição do profeta Zacarias no Antigo Testamento; "Aqueles sete olhos são os olhos do Senhor, que percorrem toda a terra"( Zc4.10). Não há nenhum lugar oculto onde Deus não saiba o que esta ocorrendo. O uso do numero 7 nessas passagens traz a ideia da perfeição divina; os sete chifres  dão a ideia da onipotência de Deus, e os 7 olhos da onisciência. O rei Davi expressou assim essa verdade; "Para onde me ausentarei do teu Espirito? Para onde fugirei da tua face? Se subo aos céus, lá estas; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estas também; se tomo as asas as alvorada e me detenho nos confins dos mares, ainda lá me haverá de guiar a tua mão, e a tua destra me susterá. Se eu digo: as trevas com efeito, me encobrirão, e a luz ao redor de mim  se fará noite , até as próprias trevas não te serão escuras; as trevas e a luz são a mesma coisa"(Sl 139.7-12).
Nenhuma atividade de anjos ou demônios fica oculta de Deus, e o Espirito Santo é capaz de compartilhar esse conhecimento com qualquer cristão à escolha. Ele é responsável pelos dons que qualquer membro individual do Corpo de Cristo pode receber: O mesmo Espirito realiza todas estas coisas, distribuindo-as. como lhe apraz, a cada um, individualmente"( 1Co 12.11). No entanto, somos encorajados a buscar os dons e a "procura-los com zelo"(1 CO 12.31;14.1).
O dom de discernimento será concedido segundo o propósito do espirito Santo. Ele fara isso quando houver necessidade e quando houver abertura e desejo ardente pelo seu exercício. Quando os cristãos entram em batalha espiritual e começam a exercer autoridade sobre os espíritos malignos em o nome de Jesus, o dom entrará em operação com maior regularidade e maior entendimento.
Quando um cristão tem o dom de discernimento de espíritos, não quer dizer que constantemente terá os segredos  do mundo espiritual revelados diante dele. Cada ato de discernimento é uma revelação separada. Não podemos decidir quando o dom será exercido, pois se trata de uma prerrogativa do Espirito Santo. No entanto, podemos estar sempre preparados e abertos par sua operação.

Não é bom ver demônio o tempo todo

Viver com uma consciência constante de toda a atividade e presença demoníaca seria uma pressão grande demais para qualquer cristão. A vida seria insuportável. Há pessoas que afirmam estar continuamente conscientes das ações demoníacas.
Entretanto, a fonte de suas revelações provavelmente é demoníaca, e não decorrente de iluminação do Espirito Santo; elas precisam de libertação.
Tenho certeza de que Deus não quer que seus filhos vivam sob tal pressão. O dom que ele nos deu por meio da habitação do espirito Santo é um discernimento que vem quando é necessário.
Creio que muitas pessoas envolvidas com ocultismo estão sujeitas a essa pressão espiritual e consciência - embora muitas vezes busquem usar esses elementos em beneficio próprio.
   
    Jesus salva, cura e liberta! Procure ter um verdadeiro encontro com Deus!

 

 

Nenhum comentário:

O Cristão deve ser Conservador. Entenda.

"Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras jamais passarão." (Mateus 24:35) Cristão  x Conservador - Muitas pe...