sábado, 10 de maio de 2014

A RÚSSIA....A CAUSA PALESTINA....E A PREPARAÇÃO DO CAOS.


As recentes manobras diplomáticas e militares da Rússia no Oriente Médio são de tirar o fôlego. A Rússia tornou-se protetora do Islã, por decisão do presidente Putin. O alinhamento de nações atrás da Rússia está preparando o cenário perfeito para o cumprimento dessa profecia bíblica.
 
A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia-a-dia!!

Contexto Bíblico — A Invasão em Ezequiel 38-39

A profetizada invasão a Israel por exércitos do norte e do sul, liderados pela Rússia, é uma das mais impressionantes e inspiradoras profecias da Bíblia! Hoje, todos os antagonistas estão em seus postos, o Anticristo está perto de ser revelado, e a batalha interna profetizada entre as dez supernações está para iniciar.
O resultado: Rússia invade Israel, exatamente como Deus prediz em Ezequiel 39-39.
No livro de Ezequiel, Deus apresenta uma das mais impressionantes profecias de toda a Escritura. Nos capítulos 38 e 39, Ele prediz que, nos últimos dias, depois que Israel retornar à sua terra, a Rússia liderará uma aliança de nações em um ataque contra Israel. Agora, lembre-se, Deus falou isso por meio de Seu profeta Ezequiel, em aproximadamente 592 AC, o que significa que essas profecias foram escritas quase 2.600 anos atrás! Na época em que Ezequiel escreveu essa profecia, nenhuma pessoa "racional" poderia acreditar que isso realmente ocorreria. Afinal, o Oriente Médio nesse tempo era o centro do mundo em cultura e poder. Por outro lado, a Rússia ainda não existia; os únicos povos que viviam naquela região eram tribos primitivas. Nunca na história mundial, existiram condições para tornar as circunstâncias de uma invasão liderada pela Rússia remotamente possível. Até mesmo em séculos recentes como o XVIII e XIX, as circunstâncias pareciam tão improváveis para a Rússia ser algum dia capaz de liderar uma invasão contra Israel, que as pessoas que queriam provar que a Bíblia não continha erros, ou que poderia ser lida literalmente eram expostas, por essa profecia, ao extremo ridículo.

Desde o tempo de Martinho Lutero, em meados de 1500, as únicas pessoas do mundo que previam que Israel voltaria à sua terra como nação, e que previram que a Rússia seria poderosa o suficiente para invadir Israel foram os "tolos" cristãos bíblicos fundamentalistas! "Em 1857, o reverendo F. E. Potts proferiu dois sermões proféticos diante de uma sessão conjunta das casas do Congresso americano. Ele era uma das mais respeitadas vozes de seu tempo. Sessenta anos antes da conquista comunista da Rússia, ele teve a firmeza de advertir o governo americano a respeito do dia vindouro, quando a Rússia seria um poder dominante mundial. Obviamente, ele tinha uma compreensão pouco comum em seus dias, derivada de Ezequiel 38 e 39."
Mas o reverendo Potts não foi o único autor cristão que descreveu precisamente o vindouro poder da Rússia, baseado em Ezequiel 38 e 39. É fascinante comparar a nota para essa passagem encontrada na Antiga Bíblia de Scofield, comentada em 1909, durante a era czarista da Rússia.
O brilhante comentarista C. I. Scofield, não poderia ter previsto a ascensão da Rússia para a importância mundial ou o reagrupamento dos judeus em Israel em 1948, mas ele diz: "Que a principal referência é às potências do norte da Europa, lideradas pela Rússia, todos concordam...'" (The Coming Russian Invasion Of Israel, atualizado, Thomas S. McCall & Zola Levitt, Moody Press, Chicago, 1974, 1987, pág. 28. (tradução nossa). É incrível que o Plano da Nova Ordem Mundial tenha criado a Nação Número 5 como a "Europa Oriental e a Rússia", justamente como Scofield e outros eruditos bíblicos previram, com base nessa profecia.
Nenhum desses autores cristãos poderia também saber que os planos ocultistas para estabelecer a Nova Ordem Mundial estavam correndo em paralelo com a profecia. Essa parte do Plano foi anunciada por Albert Pike, que foi o líder da Maçonaria norte-americana durante os anos de 1870 a 1895, aproximadamente. Descrevemos esse plano em detalhes no artigo N1057, "A Próxima Guerra Árabe-Israelense Está Extremamente Próxima — Parte 2"
A visão de Pike, dada a ele pelo seu espírito-guia demoníaco, afirma que três guerras mundiais seriam necessárias para estabelecer a Nova Ordem Mundial. Aqui estão os detalhes que o espírito-guia deu a Pike:
1) A Primeira Guerra Mundial teria como objetivo a derrubada e total destruição do governo czarista na Rússia, a ser suplantado pelo comunismo de Karl Marx [que havia sido lançado em 1848].
2) A Segunda Guerra Mundial deveria iniciar-se entre a Alemanha e a Grã-Bretanha, mas o maior objetivo seria transformar o novo governo comunista na Rússia em uma superpotência, capaz de encenar o Grande "Conflito Dialético" com o Ocidente. Esse incrível "Conflito Dialético" é conhecido atualmente como "Guerra Fria"!
3) A Terceira Guerra Mundial seria entre Israel e seus vizinhos árabes e das cinzas, poeira e destruição dessa guerra, o Anticristo sairá caminhando.
Uau! Essa visão demoníaca faz paralelo com a profecia bíblica em diversos sentidos importantes:
1) Israel não existia como um Estado naquele tempo. Não apenas estava disperso ao redor do mundo, mas a antiga terra da Palestina estava totalmente sob o controle do Império Otomano, e nenhum estudante sério de história poderia ver como ou quando esse controle mudaria;
2) A Rússia é o alvo dessa visão demoníaca. Por causa dessa visão, os líderes da Maçonaria em todo o mundo se comprometeram a estabelecer um governo comunista na Rússia, e a construir um governo que fosse poderoso o suficiente para desafiar as potências ocidentais pelo controle do mundo! É por isso que o presidente Roosevelt, um maçom, esteve tão dedicado a fortalecer a Rússia durante a Segunda Guerra Mundial! É por isso que o presidente Truman, também um maçom, esteve comprometido em restabelecer Israel como nação, após a Segunda Guerra Mundial. Ambos os líderes estavam apenas sendo fiéis à visão maçônica de Albert Pike.
E, quando eles direcionaram os recursos dos Estados Unidos à consecução dessas metas acima, criaram, inadvertidamente, a possibilidade de a Rússia possuir poder militar e político suficiente para liderar uma invasão contra Israel nos últimos dias, após Israel estar de volta à sua terra. Você pode ver como a visão demoníaca de Pike envolve os dois principais protagonistas do cenário descrito em Ezequiel 38-39? A visão de Pike coloca a Rússia em um patamar historicamente sem precedentes para ela, tanto militar quanto politicamente, e pressupõe o retorno de Israel à sua terra, um evento que ninguém além dos cristãos bíblicos previa em 1870!
Agora, vamos dar uma rápida olhada nos combatentes dessa grande guerra, quando, como profetizado, a Rússia liderará a invasão a Israel nos "últimos dias". Não tentaremos lidar com todos os aspectos da maravilhosa profecia desses dois capítulos, porque o assunto renderia um livro inteiro, mas nossa ênfase será sobre os combatentes preditos nessa profecia.
Nosso objetivo é mostrar que o cenário está finalmente armado para o cumprimento da profecia no livro de Ezequiel nas notícias do dia-a-dia. Confira!!

Identificando a Rússia Como Líder da Força Invasora

"Veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: Filho do homem, dirige o teu rosto contra Gogue, terra de Magogue, príncipe e chefe de Meseque, e Tubal, e profetiza contra ele. E dize: Assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu sou contra ti, ó Gogue, príncipe e chefe de Meseque e de Tubal." [Ezequiel 38:1-3].
É verdade que a Bíblia identifica genericamente as forças do mal opostas a Deus como 'Magogue' e seus líderes como 'Gogue', mas existem razões etimológicas para entender que 'Gogue' e 'Magogue' podem se referir à Rússia moderna. Vemos o nome Magogue pela primeira vez em Gênesis 10:2 como um dos filhos de Jafé, e um dos netos de Noé. Naquele tempo, era costumeiro que os nomes das tribos e, posteriormente, o das nações, evoluíssem a partir do nome do fundador original. "Aparentemente, o nome tribal Magogue, moveu-se para o norte a partir do Oriente Médio. Josefo... observa que Magogue é chamado de cítas pelos gregos... e que viviam nas regiões setentrionais além das montanhas do Cáucaso, precursores da Rússia moderna."
O termo 'Gogue' acima é traduzido a partir da frase hebraica 'nesi rosh'. Embora 'rosh' possa ser um adjetivo com o significado de 'cabeça', ou líder, pode também significar o nome próprio de um local, 'Rosh'. "O léxico hebraico de Brown, Driver e Briggs indica que Rosh aqui é o nome próprio de um povo... a Rússia atual."
"Tubal e Meseque foram o quinto e o sexto filhos de Jafé, e seus descendentes se fixaram ao sul do Mar Negro... o nome Moscou deriva do nome tribal Meseque, e Tobolsk, o nome do estado principal, vem de Tubal. (The Coming Peace in the Middle East, de Tim LaHaye, Zondervan Publishing House, Grand Rapids, MI, págs. 29-30) (tradução nossa).
Portanto, está provado conclusivamente que Deus estava se referindo à Rússia moderna em sua passagem de Ezequiel 38-39. Mas Deus lista mais um fator de identificação. No verso 38:6 e 15, e também em 39:2 Deus diz que essa força de ataque virá do norte. Mas no hebraico original "há o qualificador de 'extremo' ou 'máximo' para o termo norte, em todas as três passagens. (The Coming Russian Invasion Of Israel, atualizado, de Thomas S. McCall & Zola Levitt, Moody Press, Chicago, 1974, 1987, pág. 29) (tradução nossa).
Quando Deus dá as direções na Bíblia, é sempre em referência à Sua nação escolhida, Israel. Aos olhos de Deus, Israel está precisamente localizado no meio da Terra. Sendo assim, qual nação está situada ao 'extremo norte' de Israel, e de Jerusalém mais especificamente? A Rússia moderna situa-se diretamente ao norte de Israel e Moscou está localizada exatamente ao norte de Jerusalém. (ibidem, pág. 30) (tradução nossa)
No verso 38:4, vemos que Deus permitirá à Rússia armar-se com um exército muito numeroso, provavelmente para outro propósito, não o de invadir Israel; mas, Deus mesmo fará "... voltar, e porei anzóis nos teus queixos, e te levarei a ti, como todo o teu exército..." O termo "anzóis nos teus queixos" dá a mesma idéia de colocar um freio na boca de um cavalo, para controlar seu comportamento e direção. Em outras palavras, Deus colocará seu freio na boca da Rússia e a fará virar-se contra Israel. E, não se engane sobre o fato de essa invasão ser o julgamento de Deus. Em Ezequiel 38:3, Deus deixa bem claro: "...Eis que eu sou contra ti, ó Gogue, príncipe e chefe de Meseque e de Tubal." Dada a longanimidade de Deus, Sua misericórdia e graça, é chocante ouvi-Lo proferir essas palavras de juízo. Assim, para assegurar nosso entendimento sobre Deus estar se preparando para julgar a Rússia, lemos em Ezequiel 38:10a: "Assim diz o Senhor DEUS: E acontecerá naquele dia que subirão palavras no teu coração, e maquinarás um mau desígnio."
Deus fará com que os maus pensamentos subam à mente dos governantes da Rússia para que eles planejem e executem a estratégia de invadir e destruir Israel.
Mesmo que a Rússia coloque em campo um exército que poderia logicamente destruir o pequenino Israel, Deus prediz que ela terá o apoio de estrangeiros que irão marchar com ela; aliados que serão treinados, organizados e equipados pela Rússia (38:4). Deus relaciona as nações que marcharão juntamente com a Rússia. Essas nações virão tanto do norte quanto do sul de Israel, fazendo paralelo com o mesmo evento em Daniel 11:40. Ezequiel relaciona as seguintes nações que marcharão com a Rússia:
Pérsia (Irã) — Ao norte;
Cuxe (Etiópia) — Ao sul — O equivalente moderno do antigo Cuxe é a Etiópia, mas outros países africanos também poderão estar incluídos;
Pute (Líbia) — Ao sul;
Gômer (Europa Oriental) — Ao norte — provavelmente o antigo bloco da Europa Oriental, subserviente à antiga União Soviética.
Casa de Togarma — Provavelmente as repúblicas ao sul da Rússia [a maioria muçulmanas] e possivelmente a Turquia — ao norte.
Nota: Um dos maiores objetivos deste artigo é reportar que todas essas nações estão atualmente ligadas à Rússia militar e diplomaticamente. A última nação a se posicionar foi a Turquia, cujo governo recentemente mudou de pró-Ocidental para islâmico radical!! Desde o colapso planejado da antiga URSS, a Rússia tem se movido diplomática e militarmente para restabelecer todos os antigos laços com esses governos islâmicos. O cenário para a criação dessa aliança está pronto. Uma vez que o desapontamento pela total derrota e destruição do Egito, Síria, Jordânia, e o Estado Palestino estiver cravado nas mentes dos líderes russos e dos líderes desses países muçulmanos, a aliança será formada rapidamente para a invasão de Israel. E, é claro, a última peça desse quebra-cabeça a ser colocada é o Plano da Nova Ordem Mundial para reorganizar as nações do mundo em dez supernações [cumprindo a profecia em Daniel 2 e 7: 20-24] que ocorreu a partir de 1992-1996; e lista a Europa Oriental e Rússia como a supernação número 5!
Encaixando-se perfeitamente no cenário bíblico!
É claro que os exércitos do norte serão muito mais poderosos. Os exércitos ao sul serão importantes apenas pelo seu significado simbólico. Aliás, todas as nações islâmicas insistirão em marchar com a Rússia para obliterar seu antigo inimigo Israel. Pense na aparentemente maravilhosa situação a partir do ponto de vista dos árabes. Desde o nascimento de Israel, em 14 de maio de 1948, os exércitos árabes tentam repetidamente atacar e aniquilar Israel. E, na maior parte desse tempo, a Rússia tem fornecido armamentos e assessoria a eles.
Mesmo assim, habilmente, Israel tem vencido os árabes!! Agora, a Rússia já teve o bastante!! Ela irá atacar e destruir aqueles judeus irritantes de uma vez por todas. Afinal, a Rússia comunista perseguiu os judeus duramente em sua longa história, dando origem ao nome 'pogrom'. O ódio satânico os estará alimentando dessa vez. Agora, eles vão mostrar aos árabes como uma campanha militar deve ser conduzida e irão convidar todos eles para participarem [os da lista acima]!

Omissões Significativas de Países Que Marcharão com a Rússia

Já que é este o caso, por que o Iraque, a Síria, a Jordânia e o Egito não estarão marchando com essas forças armadas lideradas pela Rússia? Cada um desses países iniciou um conflito com Israel desde 1948, por isso sabemos que eles gostariam de ver Israel destruído. A combinação de exércitos, forças aéreas e frotas navais modernas o bastante para enfrentar os exércitos dos Estados Unidos e da Europa Ocidental, estarão agora avançando sobre Israel pelo norte e pelo sul. Onde estão a Síria, a Jordânia, o Iraque e o Egito? Por que Deus não os relaciona como integrantes na marcha com a Rússia?
Sabemos a resposta a respeito do Iraque. As Forças da Coalizão estão atualmente destruindo aquele antigo país, da forma como dissemos que provavelmente iria acontecer, ao se cumprir Isaías 13 nas notícias nos últimos três anos (leia o artigo N1804 para conhecer os detalhes proféticos completos!) Agora sabemos por que o Iraque não estará marchando com as forças lideradas pela Rússia.
A ausência do Egito é mais óbvia, pois os exércitos da Líbia e da Etiópia precisarão marchar pelo norte do Egito para chegarem a Israel. Olhe o mapa da região e verá que a única maneira de os exércitos desses países chegarem a Israel é atravessando o Egito.
Ao ponderar sobre esse dilema, concluí que a única explicação que faz sentido é que o Iraque, a Síria, a Jordânia e o Egito não marcharão com as forças lideradas pela Rússia contra Israel por que, no tempo dessa invasão, essas nações não existirão mais. O julgamento de Deus as terá destruído totalmente.
Todos os autores e comentaristas que li a respeito da invasão russa a Israel comentam sobre essa significativa omissão na lista de países que marcharão com a Rússia, mas nenhum deles tem a mínima idéia sobre o motivo da omissão.
Nenhum comentarista descobriu Obadias, pelo menos os que eu li. O cumprimento dessa profecia obscura irá provavelmente destruir os exércitos e derrotar as nações da Síria, Jordânia e Egito. Para o detalhamento completo de como Israel está atualmente separando sua população judaica dos palestinos para que possa futuramente aniquilá-los em cumprimento à profecia em Obadias 15-18, leia o artigo: N1422, "A Vindoura Aniquilação do Povo Palestino — A Casa de Esaú".

Israel se Sente Mais Seguro ao se Tornar "O Grande Israel"

Porém, quando afirmo que poderão ocorrer duas guerras importantes no Oriente Médio, e não apenas a invasão russa, respondo à próxima questão que parece deixar perplexa as mentes desses autores e comentaristas. Como Israel pode se sentir tão seguro e protegido de qualquer ataque como a passagem seguinte prediz? Em Ezequiel 39:11, Deus descreve a condição de Israel pouco antes da invasão russa. Nesse contexto, Deus está descrevendo a série de pensamentos que passam pela cabeça dos líderes russos, ao contemplarem, planejarem e executarem seu plano de invasão: "E dirás: Subirei contra a terra das aldeias não muradas; virei contra os que estão em repouso, que habitam seguros; todos eles habitam sem muro, e não têm ferrolhos nem portas."
Nos tempos do Antigo Testamento, as cidades comumente construíam muros, com torres e portas para protegerem-se contra saqueadores e ataques militares. A razão para uma cidade naqueles tempos não construir muros seria no caso de a população sentir-se absolutamente protegida contra qualquer tipo de ataque. Esse é precisamente o significado aqui. No tempo da invasão russa, Israel estará se sentindo bastante seguro. Ele não sentirá que há algum tipo de perigo de qualquer um de seus lados, de qualquer inimigo.
Isso pode descrever o Israel atual? Absolutamente não! Quando ele não está temendo qualquer ataque militar de fora de suas fronteiras, teme um ataque terrorista interno. A intensidade do ódio dos árabes que o cercam é tanto que Israel se sente sob o ataque em potencial de qualquer direção, a qualquer minuto de qualquer dia. Não há a menor indicação agora que Israel se sinta bastante seguro.
A única forma de Israel se sentir um dia seguro é se subitamente 'perder' seus implacáveis vizinhos árabes. Acredito que é exatamente o que Deus fará acontecer, e isso parece se encaixar na profecia contra a "Casa de Esaú", contra Damasco e contra o Egito.
O Plano da Nova Ordem Mundial é que o Anticristo apareça durante essa primeira guerra — chamada de Terceira Guerra Mundial nesse plano. Ele aparecerá com grandes poderes ocultistas, produzindo tremendos sinais e maravilhas que literalmente chocarão as pessoas de todo o mundo. Acho extremamente interessante que, apesar de o autor de Nova Era Peter Lemesurier afirmar que muitos dos 'sinais e prodígios' que o Anticristo apresentará serão "fenômenos tecnológicos", eles serão entendidos como "muletas físicas" para os sinais ocultistas realmente produzidos pelo Anticristo. Isso não é interessante? Parece que Hollywood e as redes de televisão usarão suas capacidades tecnológicas para convencer as pessoas a seguirem e, posteriormente, adorarem o Anticristo! Pense nisso na próxima vez que assistir ao seu programa jornalístico favorito!
Mas isso não é tudo! A mídia jornalística terá a responsabilidade de mostrar todo o evento da aparição — com os sinais e prodígios do ocultismo, além dos sinais e prodígios criados pelo uso da tecnologia, somando-se a isso, a 'condição mundial de desespero' — tudo em um só pacote nas transmissões televisivas para convencer as pessoas a seguirem o Anticristo. Finalmente, todas as queixas e advertências de líderes cristãos se tornarão realidade em um instante, quando as redes de notícias desempenharem seu papel para o sucesso do aparecimento do Anticristo.
Quando o Anticristo ascender, o cenário para sua aparição será ao leste de Jerusalém. O plano é que ele esteja completamente vestido com trajes reais, com roupas perfumadas e de cor púrpura, armadura, espada e cetro feito especialmente para um rei. Mas, ele estará montado sobre um jumento, para cumprir a profecia de Zacarias 9:9, que apresenta o Messias para os judeus como sendo humilde, manso, montado sobre um jumentinho. É lógico que Jesus cumpriu essa profecia literalmente, quando entrou em Jerusalém montado sobre um jumentinho, um evento que celebramos todos os anos no Domingo de Ramos. No entanto, a liderança judaica rejeitou o evento como sendo o cumprimento da profecia, assim como rejeitou Jesus Cristo como seu longamente esperado Messias. Esse é um bom exemplo de o Anticristo 'cumprir' profecias que Jesus já cumpriu, simplesmente por que os judeus ainda estão buscando que essas profecias sejam cumpridas pelo 'verdadeiro' Messias.
O Anticristo fará sua capital em Jerusalém, simplesmente por que terá de convencer os judeus que ele mesmo é o Messias por quem eles estiveram esperando há tanto tempo. Mas ele terá de trabalhar duro e ter astúcia para convencer os judeus ortodoxos de que é o Messias deles. Esses judeus o questionarão muito, analisarão cuidadosamente sua linhagem para se assegurarem que ele é da Casa (da linhagem) de Davi, e avaliarão sistematicamente seus milagres para se certificarem que ele está cumprindo todas as profecias do Antigo Testamento que identificam o Messias. E, o Anticristo irá agradar. Ele terá todas essas profecias sistematicamente catalogadas e armará o cumprimento de cada uma delas.
Essa é a intenção no livro de Peter Lemesurier The Armagedon Script: Prophecy In Action (leia a resenha). Lemeusier catalogou todas essas profecias, e audaciosamente publicou para o mundo o Plano da Nova Ordem Mundial de enganar os judeus ortodoxos para que acreditem nas mentiras do Anticristo. Todos os judeus deveriam ler esse livro!! (The Armageddon Script: Prophecy In Action, de Peter Lemesurier, St. Martin's Press, Nova York, 1981, págs. 231-6.).

As Atuais Manobras Militares e Diplomáticas da Rússia no Oriente Médio

Observamos anteriormente que a Rússia começou a restaurar todos os laços diplomáticos e militares que a antiga URSS mantinha com as nações árabes no Oriente Médio. Mas, recentemente, Putin começou a estabelecer novos laços que irão trazer mais firmemente as nações-chave nessa profecia para a órbita da Rússia. Vamos rever essas notícias agora.
Resumo da Notícia: "Putin Chama a Rússia de Defensora do Mundo Islâmico", MosNews, 12/12/2005.
"A Rússia é o parceiro mais confiável do mundo islâmico e o mais fiel defensor de seus interesses, disse o presidente russo Vladimir Putin em Grozny, a capital da Chechênia. Putin visitou inesperadamente a república devastada pela guerra para falar no parlamento local... A Rússia sempre foi a defensora mais fiel, mais confiável e mais coerente dos interesses do mundo islâmico. A Rússia tem sido a melhor e mais confiável parceira e aliada... Putin disse que "os países membros da Organização da Conferência Islâmica aprovaram uma decisão unânime de que a Rússia começará a trabalhar como observadora em termos permanentes".
"'E continuaremos com nossas atividades dentro da estrutura desta organização. Recentemente uma delegação de muçulmanos russos esteve em Meca para discutir os problemas de desenvolvimento do mundo islâmico com seus irmãos. Repito: A Rússia apoiará essa política', adicionou o presidente."
Não há nada mais claro do que essa afirmação feita pelo presidente Putin: A Rússia continuará a apoiar essa política de "defensora dos interesses do mundo islâmico".
Esse é um comentário bastante audacioso. O presidente Putin acabou de dizer que a Rússia defenderá ativamente os "interesses do mundo islâmico"! Não importa de onde possa vir a ameaça ao Islã, Putin está dizendo que a Rússia virá em sua defesa. E, por causa do Armamento Escalar da Rússia, sabemos que ela tem o poder militar de colocar os Estados Unidos contra a parede. Além disso, essa aliança para ir em socorro das nações islâmicas é simplesmente uma reafirmação pública de uma advertência que Putin fez ao presidente Bush em 12/4/2003, poucos dias após as forças norte-americanas ocuparem Badgá. Em sua declaração, Putin "advertiu a coalizão liderada pelos EUA a não atacar outros países sob o pretexto de promover os valores capitalistas e democráticos após ter derrotado o regime ditatorial do Iraque." [Leia os detalhes no artigo N2003, "Um Xeque-Mate da Rússia no Oriente Médio?"].
Putin terminou sua declaração dizendo: "Terminaremos em uma espiral de conflitos militares intermináveis. Não podemos permitir que isso aconteça'."
Se a Rússia não puder dar sustentação a essa ameaça, estará acabada como potência mundial. E Putin sabia dessa realidade em 12 de abril de 2003. Portanto, ele deve acreditar que tem o poder militar para dar sustentação às suas exigências. E, com certeza, os Estados Unidos recuaram repetidas vezes em suas ameaças de forçarem uma "mudança de regime" no Irã, na Síria e na Venezuela.
Vamos examinar as recentes atividades militares e diplomáticas russas em apoio a cada uma das nações mencionadas acima — as nações mencionadas na profecia de Ezequiel 38-39.
Irã — A Rússia tem sido bastante ativa em apoiar as defesas do Irã por meio de ações militares e diplomáticas.
"O acordo foi anunciado no domingo, dia 26 de fevereiro, por Gholamreza Aghazadeh, presidente da Organização de Energia Atômica do Irã, após dois dias de conversações com seu colega russo, Serguei Kiriyenko, no reator nuclear Bushehr... Os russos, ao aceitarem as exigências do Irã, livraram a República Islâmica da ameaça de uma queixa dos EUA-Europa-Israel ao Conselho de Segurança."
A fervura diplomática começou. Apesar de a Casa Branca ter posteriormente expressado "ceticismo" que esse acordo realmente evitará o Irã de obter capacidades de enriquecer combustível nuclear, o fato é que o presidente Bush expressou anteriormente seu apoio à iniciativa russa de convencer o Irã a permitir que a Rússia enriqueça os pistões de combustível necessários para operar os recém-construídos reatores nucleares. A teoria é que o Irã não seria capaz de usar o processo de enriquecimento para adquirir os derivados necessários à produção de bombas nucleares caso a Rússia enriquecesse o combustível em seu próprio solo e apenas enviasse os pistões acabados para o Irã.
É claro que, como afirmamos muitas vezes anteriormente, o Irã possui bombas nucleares desde 2002 (leia o artigo N2014)! Além disso, os satélites ocidentais há muito tempo dominam a capacidade de localizar a exata posição de cada artefato nuclear do mundo (Leia o artigo N1938, "O Mito Que Grupos Terroristas Podem Atingir as Grandes Cidades com Armas Nucleares Sem Que Suas Exatas Ações Sejam Conhecidas de Antemão"). Quando um país, como os Estados Unidos, consegue identificar a exata localização de um alvo, suas "bombas-inteligentes" guiadas e de precisão podem facilmente destruí-lo em um primeiro ataque. Segundo os informes, os satélites russos também têm essa capacidade.
Assim, não faz sentido para o Irã procurar obter uma tecnologia de 60 anos que agora é considerada obsoleta como arma de guerra porque os Estados Unidos podem identificar exatamente sua localização! Evidentemente o Irã comprou armamentos suficientes "prontos" da Inteligência paquistanesa no início dos anos 1990 para uso como armas de dissuasão. Mas, pensar agora que o Irã estaria disposto a procurar obter armamentos de tecnologia obsoleta quando essa procura pode significar um ataque americano, é o mesmo que achar que os líderes iraquianos são burros.
Assim, toda essa crise é armada, colocando-a no âmbito da pura propaganda.
Como observamos anteriormente, a Rússia implantou o mesmo sofisticado sistema de defesa aérea no Irã que é usado para a proteção das cidades russas contra um ataque norte-americano. É duvidoso que um ataque americano possa penetrar esse sistema defensivo. Se a Rússia aprimorou o sistema de defesa com sua tecnologia de defesa aérea escalar, o Irã provavelmente está imune a aviões e mísseis norte-americanos. Apenas Israel teria a chance de penetrar nesse sistema de defesa, porque também possui armamento escalar e armas de Potencial Quântico. Já que o Irã está arrolado como um dos países que marcharão na invasão liderada pela Rússia a Israel, é duvidoso que Israel decida atacar o Irã a partir de uma "tempestade em copo d'água" puramente propagandística.
Além disso, a Rússia já vendeu ao Irã seu incrível míssil antinavios Sunburn, com os sistemas de orientação acompanhantes, que dirigem o míssil até o alvo — e esse tipo de produto é protegido pelo mesmo sistema sofisticado de defesa aérea descrito acima, incrementado pelos escudos de armamentos escalares que impediriam qualquer míssil e/ou avião de penetrar e atingir o alvo (Leia o artigo N1776, "Uma Visão da Tecnologia do Armamento Escalar".) Esse é o sistema bélico que fecharia o Estreito de Hormuz, caso o Irã seja atacado.
A Rússia tem ajudado o Irã de outras maneiras.
Resumo da Notícia: "A Rússia expressa forte oposição às sanções contra o Irã", IRNA, 15 de fevereiro de 2006.
"O ministro de Relações Exteriores da Rússia declarou na última quarta-feira a forte oposição de seu país a qualquer possível sanção contra o Irã. Serguei Lavrov, que está na capital da Áustria para conversações com o trinca européia: França, Grã-Bretanha e Alemanha, disse em uma conferência de imprensa que as sanções jamais resolveram qualquer disputa. 'Pelo contrário, as sanções sempre ofereceram o ímpeto para a intensificação dos desentendimentos', acrescentou ele."
"'Se quisermos que Teerã honre seu compromisso com a comunidade internacional e continue com seu programa nuclear transparente, então a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) deve diminuir suas atividades no Irã', reforçou o ministro das Relações Exteriores. 'Devemos também exortar o Irã a voltar à mesa de negociações', ele disse."
A Rússia e a China gastaram tempo e esforços diplomáticos consideráveis para levar essa questão ao Conselho de Segurança da ONU, onde ambas exercem poder de veto. Quando o ministro de Relações Exteriores da Rússia, citado anteriormente, recomenda a não imposição de sanções, está falando de sanções impostas pelo Conselho de Segurança. Essa manobra foi realmente astuta porque garante que a mentira norte-americana sobre o programa de desenvolvimento de armas nucleares será eliminada no Conselho de Segurança. Assim, se a América atacar, fará isso sem o apoio internacional, como fez com a invasão ao Iraque. Como a invasão ao Iraque foi tão desastrosa para o presidente Bush, parece improvável que ele se arrisque a atacar o Irã sem um mandado do Conselho de Segurança.
Síria — A Rússia também enviou defesas antiaéreas para a Síria no último ano. Adicionalmente, vimos algo muito interessante, pois a Marinha russa atracou um navio de guerra em um porto sírio, sem o conhecimento prévio do público!
Resumo da Notícia: "O cruzador russo Moskva — em um exercício militar da NATO — aportou em Latakia a 21 de fevereiro", DEBKAfile Intelligence, 28 de fevereiro de 2006
"Uma força-tarefa liderada pelo Moskva e pelo navio de desembarque de tropas Azov tornou-se a primeira força naval russa, em uma década, a atracar em um porto na Síria … a força-tarefa partiu do porto de Sevastopol, no Mar Negro, em 5 de fevereiro, para participar de uma operação antiterrorismo liderada pela OTAN no Mediterrâneo, para um exercício conjunto de três meses, focado no combate ao contrabando de armas de destruição em massa, comércio de armas ilegais e migração. O exercício foi chamado de Operação de Esforços Ativos. Os líderes da OTAN e os chefes do Exército dos Estados Unidos estavam satisfeitos com a participação dos russos e o secretário-geral da OTAN, Jaap de Hoop Schefer, prometeu o gesto da primeira visita de um chefe da aliança ao Moskva."
Portanto, um chefe da OTAN esteve a bordo do navio de guerra Moskva enquanto ele participava de uma operação antiterrorismo no Mediterrâneo. Esse oficial da OTAN deve ter ficado surpreso com a ação que esse navio de guerra tomou. Leia atentamente o segmento a seguir:
"No entanto, nem ele ou os norte-americanos que participaram do exercício tinham a menor idéia que a força naval russa tinha a intenção de se distanciar do exercício tempo o bastante para ancorar em um porto sírio — uma parada que o presidente sírio Bashar Assad entendeu como um gesto de apoio de Moscou. A visita enfatizou o plano do Kremlin de ter maior participação nas questões militares do Oriente Médio, principalmente fazendo aberturas amigáveis para os adversários dos Estados Unidos."
Essa súbita parada no porto foi um gesto enorme! Esse simples ato colocou os líderes americanos e da OTAN em alerta sobre as intenções da Rússia, que está disposta e considera-se capaz de defender seus aliados islâmicos. Agora, observe este próximo segmento que revela o profissionalismo da tripulação dos navios de guerra russos como o Moskva.
"O cruzador lança-mísseis Moskva foi construído em 1982 para perseguir e destruir porta-aviões. Ele passou por reparos importantes que foram concluídos em 2000. Possui uma tripulação de 510 homens e sua principal arma é o míssil cruzeiro Bazalt, que pesa 6 toneladas, tem uma velocidade 2.5 Mach e um alcance de 550 quilômetros. O navio de 186.5 metros pode transportar tanto uma ogiva nuclear quanto uma arma convencional de 500 quilos. Seu sistema antiaéreo S300f estabelece um perímetro aéreo ao redor do navio de 75 quilômetros de raio. Ele está também equipado para atacar submarinos. Em 15 de fevereiro, durante o exercício com a OTAN, o Moskva capturou um destróier britânico, o Nottingham, que fez o papel de inimigo. O cruzador russo também capturou a fragata espanhola Navarro."
Anteriormente, afirmamos que a habilidade militar americana não é o que aparenta ser. Pedimos que você leia o artigo N2026, "16 US Ships At The Bottom of the Persian Gulf! Includes One Aircraft Carrier Destroyed — Recent War Games Disaster" (não traduzido).
À parte das armas escalares russas e a superioridade das armas de Potencial Quântico (leia o livro do tenente-coronel Bearden, "Oblivion: America At The Brink — Scalar Weaponry Explained, Illustrated"), a Síria, nos últimos meses, parou de repente de agir como se estivesse com medo do gigante americano e tem seguido em seu próprio caminho independente. Agora, podemos ver o por quê?
Turquia — A Rússia e a Turquia recentemente completaram exercícios militares conjuntos no Mar Negro!
Resumo da Notícia: "Rússia e Turquia preparam manobras militares no Mar Negro", Chine View, 28/2/2006.
"Moscou, 27 de fevereiro (Xinhuanet) — Navios russos, incluindo um cruzador lança-mísseis, iniciaram um exercício militar conjunto com navios turcos na segunda-feira, no Mar Negro, informou a rede de notícias Itar-Tass. O cruzador Moskva, um navio de desembarque de tropas e um navio de apoio para a Frota Russa do Mar Negro, deixaram o porto turco de Istambul para realizar manobras após concluírem sua visita na segunda-feira. Duas fragatas e duas embarcações equipadas com mísseis da Turquia participarão do exercício. Durante os dois dias de manobras, os navios russos e turcos estarão exercitando tarefas de comunicação, manobras conjuntas e um episódio de treinamento de batalha... O comandante-em-chefe da Marinha russa, o almirante Vladmir Masorin, que concluiu sua visita à Turquia na segunda-feira, estará a bordo do cruzador Moskva para observar as manobras. Durante a visita de Masorin à Turquia, ele discutiu a cooperação posterior entre as duas Marinhas com o comandante da Marinha turca."
Essa manobra naval conjunta foi definitivamente uma declaração política. A Rússia e a Turquia estavam dizendo a todos que queiram ouvir, que as relações entre ambas estão próximas o bastante para elas conduzirem manobras militares conjuntas. Essa manobra conjunta também sinaliza que a Turquia está se distanciando de sua posição pró-Ocidente e pró-Israel. Veja bem, o alto comando militar turco tradicionalmente tem sido muito pró-Ocidente, a ponto de organizar golpes para derrubar regimes que se desviassem em direção a qualquer posição que fosse considerada remotamente pró-islâmica. Mas, em novembro de 2002, o povo turco chocou o mundo ao eleger um primeiro-ministro pró-islâmico com uma larga margem de vantagem. A soma de votos foi tão grande a favor do primeiro-ministro islâmico que os generais realmente temeram que a população pudesse se revoltar tanto ao ponto de eles perderem o controle. [Leia sobre esta incrível mudança no artigo N1733 (não traduzido).].
Assim, desde essa eleição, o primeiro-ministro islâmico da Turquia tem sido cuidadoso com sua política internacional, para que os generais turcos não se rebelem contra ele. O primeiro-ministro moveu gradativamente a Turquia para a órbita pró-islâmica, sem acender a ira dos generais. O evento mais importante que provou que o primeiro-ministro estava vencendo a batalha ocorreu durante na invasão das Forças da Coalizão ao Iraque. O presidente Bush e o Pentágono queriam desesperadamente mover as forças pela Turquia para cercarem as forças de Saddam. O governo turco respondeu afirmativamente ao pedido norte-americano, apesar da autorização ter parecido um tanto fria. No entanto, uma vez que as forças navais e aéreas americanas estavam nos territórios turcos aguardando as ordens de ataque, o primeiro-ministro começou a mudar de idéia e, no fim, recusou-se a permitir que as bases turcas fossem utilizadas; ele também rejeitou a idéia de enviar 100.000 soldados turcos ao norte do Iraque para ajudar no ataque contra Saddam. Depois de muita consternação, as forças navais americanas empacotaram os suprimentos que tinham acabado de desembarcar e partiram para o sul, para o Kuwait para descarregá-los ali. As forças aéreas dos Estados Unidos também saíram da Turquia e de outras bases amigas na região.
Observadores atentos perceberam que o primeiro-ministro tinha vencido uma batalha muito importante contra os generais. A partir de então, a Turquia tenta se distanciar de acordos pró-Israel que tenham sido assinados antes das eleições de novembro de 2002. A Turquia está definitivamente movendo-se depressa em direção aos valores mais tradicionais e antiocidentais do Islã e em direção às políticas antiisraelenses.
O que é realmente surpreendente a respeito desse exercício naval conjunto com os russos é que ele acontece justamente em um momento em que o crescendo contra o Irã está chegando ao ponto de ebulição. Em vez de "ficar na sua" até que os eventos se direcionem, o governo turco está ativamente voltando-se para o lado iraniano e para a luta deles, como a próxima matéria confirma.
Resumo da Notícia: "Irã e Turquia assinam acordo de segurança", IRNA News, 22 de fevereiro de 2006.
"Representantes do Irã e da Turquia assinaram um acordo de segurança no final da Décima Primeira Sessão do Alto Conselho de Segurança Teerã-Ancara... Com base no acordo, as duas capitais irão cooperar para fortalecerem suas fronteiras conjuntas e prevenir o contrabando de bens, drogas, armas e substâncias alucinógenas pelas suas fronteiras... Ele adicionou que o acordo é o 'primeiro passo' no fortalecimento de relações bilaterais... dado o fato que o Irã e a Turquia usufruem de quase 200 anos de história de laços cordiais que devem ser cuidadosamente preservados."
"O governo de Ancara esperava que suas fronteiras com o Irã se tornassem mais seguras fazendo com que o contrabando e outros tipos de crimes diminuíssem consideravelmente como resultado dessa cooperação de segurança com o governo de Teerã."
Esse acordo conjunto parece ter o objetivo de impedir o comércio ilegal pelas fronteiras e impedir os terroristas de cruzarem facilmente de um país para outro. No entanto, em termos geopolíticos, a Turquia deveria ter assinado esse acordo de segurança em outra época, não agora, durante o clímax de tensões entre o Irã e os Estados Unidos. O tempo fará com que Washington perceba que a Turquia é amiga do governo e do povo iraniano. Como diz a afirmação acima, esses dois países compartilham 200 anos de laços históricos.
A Turquia e o Irã são agora, oficialmente, amigos. Outro país islâmico que se voltou em direção ao Irã e, mais importante, outro país islâmico que está profeticamente alinhado com a Rússia acaba de aparecer na cena! A Rússia, o Irã e a Turquia estão agora alinhados — contra o Ocidente e contra Israel — como predito em Ezequiel 38-39!
A plataforma russa anti-Israel tornou-se bastante aparente recentemente quando Putin concordou em receber o novo governo palestino, liderado agora pelo grupo terrorista Hamas.
Resumo da Notícia: "Rússia e Hamas Irão Discutir Armas; Israel Considera a Imposição de Sanções", Israel National News, 17 de fevereiro de 2006.
"O presidente russo Vladimir Putin convidou formalmente os líderes do Hamas esta semana a visitarem Moscou para conversações no início de março. Surpresas, as autoridades israelenses estão considerando a possibilidade de impor sanções contra a Palestina liderada pelo Hamas. O encontro pode ter terminado com um novo acordo para o fornecimento de armas a organizações terroristas, incluindo dois helicópteros M-17 e cinqüenta veículos blindados... Entretanto, o chefe do Estado Maior russo, o general Yuri Baluvevsky, disse que os dois helicópteros estariam desarmados. Ele justificou a venda de equipamentos com armas como necessária para 'estabilizar a situação'... Em um encontro na quinta-feira com o alto representante da União Européia, Javier Solana, o ministro das Relações Exteriores de Israel, Tzipi Livni, expressou o desapontamento com a atitude russa."
Você consegue imaginar a Rússia garantindo legitimidade ao grupo terrorista Hamas, convidando seus líderes para irem a Moscou e até mesmo declarando que a Rússia considera o Hamas legítimo o bastante para vender a eles armas militares? Mesmo que a Rússia tenha estipulado que Israel deva aprovar a venda dos armamentos, os líderes russos enviaram a mensagem diplomática que queriam — eles estão se juntando com o mais sangrento inimigo de Israel.
Assim, a Rússia exibe agora exatamente o tipo de tendência anti-Israel requerido pela profecia de Ezequiel 38-39.
Os eventos e as nações estão se alinhando de tal maneira que irão cumprir exatamente Ezequiel 38-39! A Rússia está movendo-se diplomaticamente para o Oriente Médio, unindo-se com os inimigos mais implacáveis de Israel. Uma vez que ocorra a guerra regional em que Israel aniquilará a "Casa de Esaú", os sírios, os jordanianos e os egípcios, o Anticristo aparecerá, como previsto na Bíblia. Um pouco de tempo depois, a Rússia decidirá que apenas forças lideradas pelas suas forças armadas poderão derrotar Israel, e irá liderar essas nações que está agora cortejando.
A invasão liderada pela Rússia está a caminho. Não é interessante conseguir ver o desenrolar dos fatos nas notícias do dia-a-dia?


Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para advertir e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.
Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.
Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvaçãoagora.
Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org


Nenhum comentário:

O que é o Congresso Brasil Paralelo?

Brasil Paralelo  é um  sítio eletrônico   brasileiro  de conteúdo independente, cuja  linha editorial  é alinhada ao  liberalismo eco...