sábado, 19 de julho de 2014

PROJETO HAARP HAARP ou HIGH FREQUENCY ACTIVE AURORAL RESEARCH PROGRAM

HAARP (Programa de Pesquisa da Alta Freqüência de Auroral Ativa)

Projeto Haarp, uso de alta tecnologia para fins bélicos

Por ROGÉRIO CHOLA
O projeto denominado High Frequency Active Auroral Reserach Program (HAARP), começou com o título de “experimento científico de comunicação” e hoje está enquadrado na característica de “Estratégia / Inteligência Tática / Guerra Eletrônica”. O objetivo seria o estudo da camada da atmosfera conhecida como Ionosfera. Hoje, sabe-se que a Ionosfera é uma camada de Plasma (o quarto estado da matéria e a susbtância mais comum que compõe o Universo conhecido). Esse estado é difícil de ser produzido e controlado em laboratório. Assim, a existência desta camada na Terra é uma excelente fonte de pesquisas e, claro, de “testes”. Infelizmente, existem várias possibilidades com este projeto.
A Ionosfera tem a capacidade de permitir comunicações de longo alcance em alta e baixa freqüências, principalmente utilizada em sistemas militares e de vigilância. O Sol tem um efeito considerável sobre esta camada, através do “vento” solar (sun flares) e ejeção de massa coronal (CME´s), as popularmente conhecidas “tempestades solares”, sendo capaz de provocar o total aniquilamento da comunicação via ondas eletromagnéticas (EM) em todo o planeta (vide o evento ocorrido em 03.08.1997, onde um “blackout” eletromagnético parou quase todos os EUA).
Outros fenômenos causados pela atividade solar são as “auroras” (eletrojatos ou “eletromotos”) que podem alcançar a potência de milhões de ampères (intensidade de corrente elétrica) e provocar vários fenômenos, induzindo esta fantástica corrente elétrica através das “linhas de força” que formam a matriz (grid) eletromagnética terrestre.
Estes efeitos podem provocar desde mudanças no clima (com tempestades, furacões, relâmpagos) até mudanças no comportamento humano sob influência do forte efeito eletromagnético (EMI – Eletro Magnetic Interference). Modernas simulações realizadas em computadores da série Cray demonstram a enorme variação e turbulência que ocorre na Ionosfera durante uma “tempestade geomagnética solar”. Enfim, se algo ou alguém pudesse controlar estes eventos, teríamos um poderoso instrumento capaz de alterar o clima em certas regiões, eliminar o sistema de comunicação de um país e induzir a comportamentos “estranhos” na população e o aniquilamento de equipamentos militares eletrônicos através de Pulsos Eletromagnéticos (PEM) controlados.
Mas o mais “curioso” e ao mesmo tempo assustador é que esse tipo de equipamento possibilita a utilização de transmissões/emissões de ondas eletromagnéticas de baixa freqüência / comprimento longo (ULF-ELF-VLF) é possível se detectar, mapear e gerar imagens de estruturas subterrâneas e inclusive criar um sistema de comunicação subterrânea que não é afetado por qualquer tipo de atividade de superfície. Isto seria feito invertendo-se as propriedades dos campos eletromagnéticos para se obter parâmetros geofísicos e imagens realísticas abaixo da superfície terrestre, com o objetivo principal de mapear estruturas feitas pelo homem ou artificiais. Bem, este assunto pode implicar em muitos desdobramentos que não entrarei em detalhes, mas, para reflexão, lembro que recentemente os EUA desenvolveram uma arma capaz de destruir instalações subterrâneas a grande profundidade.
Quanto ao fato de tal dispositivo poder provocar terremotos seria uma possibilidade, pois o som é uma freqüência que quando direcionada, potencializada e em estado “ressonante” com a estrutura que se deseja atingir, pode provocar o total aniquilamento de tal estrutura como se esta fosse feita de material frágil. Mas, aí seria outro tipo de onda eletromagnética não-ionizante (talvez uma faixa de microondas – SHF ou EHF). Sempre que me perguntam a respeito, lembro-me do filme protagonizado pelo Steve Segal – “Força em Alerta 2″, onde um cientista dissidente inventa um satélite capaz de gerar pulsos localizados de microondas e assim provocar terremotos.

O Steve é um bom amigo e todo filme que faz é baseado em pesquisas reais. Este dispositivo realmente existe como pesquisa. Teoricamente é possível produzir terremotos ou pontos de ruptura por microondas, através da expansão das moléculas de água do interior das rochas. Se alguém já conseguiu fazer isto, não sei. Pelo que pesquisei, é possível que Nichola Tesla tenha desenvolvido um dispositivo parecido e tenha se espantado com seu poder e assim tratou de destruí-lo e esconder as anotações que mais tarde foram confiscadas pelo governo norte-americano, o qual provavelmente pode ser o responsável pela sua morte. Alguns acreditam que o evento de Tunguska em 1908 foi o resultado de um teste realizado com o equipamento de Tesla, conduzindo uma carga eletromagnética através da Ionosfera. O objetivo de Tesla seria o de testar um sistema de comunicação de baixo custo que circulasse o Planeta.
Outro dado interessante é que os efeitos eletromagnéticos estão ligados ao desenvolvimento da Magneto Hidrodinâmica (MHD), muito pesquisada pela Marinha como sistema de propulsão de seus submarinos das classes Los Angeles e Califórnia (ambos nucleares). Como sabemos, a propagação de ondas eletromagnéticas na água é prejudicada e, por isso, a transmissão entre bases na superfície e submarinos em águas profundas é feita através de ondas ELF. Curiosamente, um episódio da série “Arquivo X” tratou especificamente desse efeito, que causava nas pessoas próximas de transmissores ELF da Marinha, uma irresistível vontade de ir numa direção específica de acordo com a propagação eletromagnética, como se estivesse seguindo um sinal. Quanto mais a pessoa andava na velocidade da onda, melhor se sentia, se parasse, tinha dores terríveis até morrer, com a “implosão” dos centros receptores do cérebro. Este episódio foi baseado em fatos reais! O seguinte link mostra uma comunicação endereçada ao DoD (Departament of Defense) dos EUA, pedindo o término imediato de projetos baseados em ELF em áreas civis:
Vejam o parágrafo que trata de riscos para a saúde pública.
Recentemente, o Senado dos EUA aprovou uma verba de US$ 140 milhões para o programa de “guerra eletrônica” das Socom (Special Operations Command), nelas estão incluídos os escudos antimísseis Asat (Army Tactical Anti Satellite Technologies) e Haarp.
O Projeto HAARP está sob coordenação da USAF através da Universidade do Alasca (http://www.haarp.alaska.edu/) e da USNAVY através do Naval Research Laboratory (http://server5550.itd.nrl.navy.mil/projects/haarp/index.html).
Um dos melhores lugares para se obter informação confiável (ainda e por enquanto) é o site da Federation of American Scientists (FAZ) http://www.fas.org, uma espécie de National Rifle Association (NRA) da ciência, daí seu forte poder de união e divulgação. É uma entidade de pesquisa séria e respeitada na comunidade científica.
Um ótimo link para se conhecer os projetos americanos é o do Intelligence Programs and Systems, em http://www.fas.org/irp/program/list.htm, e também o do Intelligence Collection Programs and Systems em http://www.fas.org/irp/program/collect/
Para finalizar, ainda no assunto “armas”, se já não bastassem as armas Eletromagnetic Pulse (EMP) e High Power Microwave (HPM), veja o que nos aguarda em:
Sobre livros, os melhores que li a respeito desse assunto são:
- “The Lost Journals of Nikola Tesla : Haarp – Chemtrails and Secret of Alternative 4″ – Tim Swartz;
- “Angels Don’t Play This haarp: Advances in Tesla Technology” – Nick Begich e Jeane Manning;
- “Haarp : The Ultimate Weapon of the Conspiracy” – Jerry E. Smith;
- “Secrets of Cold War Technology: Project HAARP and Beyond” – Gerry Vassilatos;
- “The Earth’s Ionosphere” – Academic Press – Kelley, M. C. – 1989;
- “Ionospheric Radio” – Peter Peregrinus Ltd – Kenneth Davies – 1990;
- “An Introduction to the Ionosphere and Magnetosphere” – J. A. Ratcliffe – 1972;
Outro trabalho que recomendo a leitura para quem quiser se aprofundar em UFOlogia Militar são:
-”Underground Bases and Tunnels – What Is The Government Trying to Hide?”;
-”Underground Bases and Tunnels”;
O HAARP (Programa de Pesquisa da Alta Freqüência de Auroral Ativa) é um dos projetos mais controversos já empreendidos pelo governo dos Estados Unidos. Oficialmente, trata-se de um complexo de antenas cuja finalidade é promover estudos de caráter puramente científico, ampliando o conhecimento sobre a natureza da comunicações de rádio de faixas longas e a vigilância utilizando a flutuação da ionosfera, a porção da atmosfera superior que se estende de 35 milhas a 500 milhas sobre a superfície da Terra.
Mas muitos pesquisadores questionam essa versão e expõem tb um programa de trabalho secreto :
Projeto HAARP pode ser utilizado como espantosa e terrível arma de destruição em massa, revelando um plano militar secreto conduzido por uma trilha de evidências que levam a teorias de conspiração verdadeiramente assustadoras.
Seria um projeto voltado exclusivamente para desenvolver uma tecnologia capaz de criar uma super-arma eletromagnética, de promover modificações climáticas que comprometeriam o meio ambiente global e até mesmo de controlar mentalmente populações inteiras?

Agradecemos o resumo: Light Warrior

Nenhum comentário:

O que é o Congresso Brasil Paralelo?

Brasil Paralelo  é um  sítio eletrônico   brasileiro  de conteúdo independente, cuja  linha editorial  é alinhada ao  liberalismo eco...