sexta-feira, 21 de outubro de 2016

O FUTURO DA HUMANIDADE ESTÁ CONDICIONADO A DESCOBERTA DE UM NOVO PLANETA?





O brilhante físico Stephen Hawking afirmou recentemente que o custo ambiental para a manutenção de nossa civilização aliado aos riscos gerados pelo próprio progresso científico certamente provocará um desastre em escala planetária, mas ele acredita que se a humanidade sobreviver por mais algum tempo, poderemos expandir nossa civilização para o espaço.

A Veja veiculou em de Abril deste ano a seguinte notícia:

O físico Stephen Hawking apresentou em Nova York um ambicioso projeto de exploração espacial apoiado pelo bilionário russo Yuri Milner e pelo criador do Facebook, Mark Zuckerberg. A missão prevê um novo e minúsculo modelo de sonda com a qual se pretende alcançar o sistema estelar mais próximo ao nosso, Alfa Centauro. Se a iniciativa for bem sucedida, os cientistas poderão determinar se o sistema formado por três estrelas tem um planeta parecido com a Terra, capaz de sustentar a vida como conhecemos. “Para sobreviver como espécie, devemos nos dirigir às estrelas, e hoje nos comprometemos com o próximo grande avanço do homem no cosmos”, disse Hawking em entrevista coletiva em Nova York.

Quando cientistas esperam encontrar um planeta em condições de abrigar a vida existente hoje na terra, estão falando de uma relação do planeta com seu sol, muito próxima da que existe em nosso sistema solar. Precisamos encontrar um sistema solar com uma estrela amarela (emissão máxima de radiação na faixa do amarelo), massa, temperatura e brilho semelhantes ao nosso sol. Esta estrela não pode fazer parte de um sistema com outras estrelas, pois provocaria graves interferências gravitacionais, além de perturbações danosas como consequência da emissão de radiação de cada uma delas.

Nosso sol é uma estrela tipo espectral G de idade, massa, temperatura e brilho médios. A faixa de radiação luminosa emitida com mais intensidade está compreendida entre 5000 Å e 5700 Å, a faixa de luz do amarelo. Do espectro emitido pelo sol, somente a faixa compreendida entre 3500 Å e 7000 Å (luz visível), atinge a superfície da terra. O restante fica retido na atmosfera, por uma série de fatores, caso contrário não existiria vida na terra. A faixa do visível tem a quantidade de energia suficiente para manter a temperatura do planeta em condições ideais para a manutenção dos sistemas biológicos.

O planeta em questão precisa ocupar uma órbita na sua estrela na mesma faixa de distância da órbita da terra com o sol. Ter tamanho aproximado ao da terra para ter a mesma força gravitacional. Possuir um sistema de proteção atmosférica que permita somente a chegada da faixa do visível a sua superfície. Os gases presentes na atmosfera precisam ter os mesmos componentes da nossa e em proporções semelhantes. Muita água, e composição química do solo em condições de receber as sementes que levaremos. Olha que esta é uma visão bem simplista da realidade. Existem outros fatores importantes que não mencionamos tais como: relevo; atividade vulcânica; atividade tectônica; ventos; quantas luas orbitam tal planeta; se tem estações bem definidas e outros elementos determinantes para a gênese planetária.

Os telejornais noticiaram no dia 12 de Agosto que Astrônomos europeus descobriram um planeta semelhante a terra no sistema solar de Alfa Centauro. O planeta está a 4,3 anos-luz de distância, tem massa e tamanho semelhantes ao da Terra. Está orbitando ao redor da estrela Alfa Centauro B, de tipo espectral K, cuja emissão máxima de luz está compreendida entre 5700 Å e 6000 Å, a faixa do Alaranjado e faz parte de um sistema estelar composto por três estrelas.

Apesar ter sido criado uma enorme expectativa em torno da notícia, ela não retrata a realidade dos fatos. Na verdade, o tal planeta é muito diferente da Terra, pois está, somente, a seis milhões de quilômetros da estrela Alfa Centauro B (a terra está a cerca de 150 milhões de quilômetros do nosso sol). O ano deste planeta tem a duração de 3,2 dias terrenos. A temperatura na sua superfície chega a 1.200°C. Trata-se de uma verdadeira bola de fogo. Além do mais, trata-se de um sistema com três estrelas, existe uma confusão letal provocada pela interação de suas radiações.

Jerusalém, Capital de Israel

A decisão do presidente dos Estados Unidos de assinar o reconhecimento oficial da cidade de  Jerusalém  como a capital de Israel, além ...